Livraria Francesa Imprime Livros na Hora da Compra

O acesso a tecnologias como smartphones, tablets e computadores a preços acessíveis modificou muitos hábitos das pessoas nos últimos anos. Hoje em dia, podemos ler notícias e livros através dos dispositivos eletrônicos e com isso o consumo de jornais impressos, revistas e livros foi drasticamente reduzido.

Pensando em otimizar custos e evitar problemas com os livros “encalhados” no estoque, uma livraria de Paris desenvolveu um modelo diferente para oferecer seus livros ao público. A Les Puf uma livraria universitária localizada no centro de Paris esvaziou as prateleiras de livros e as substituiu por máquinas que imprimem os livros escolhidos pelo cliente na hora da compra. No local de 80 metros quadrados, existem alguns livros para mostruário, tablets, por onde o cliente seleciona o pedido e as máquinas de impressão. O funcionário da loja selecionada o arquivo em PDF e faz a impressão no momento da compra. Atuando com o modelo de livros já impressos, a loja precisaria de um espaço muito maior para comportar o acervo disponível aumentando custos com aluguel em uma região de preços elevados. Outra vantagem é que com esse sistema é possível viabilizar a venda de títulos considerados como pouco procurados e rentáveis para o mercado literário, além de ampliar seu catálogo de livros para venda.

A máquina conhecida como Espresso Book Machine se tornou um case de sucesso, por aliar a praticidade da tecnologia, sem descartar a essência do livro físico. Livrarias universitárias de diversos outros países se interessaram pelo modelo de produção adotado na livraria francesa e passaram a utilizar a máquina de impressão expressa.

É importante ressaltar também que, a livraria universitária Les Puf ganhou visibilidade com o modelo de negócios inovador e prático, porém a máquina de impressão “expressa” foi desenvolvida no início dos anos 2000 pelos sócios Jason Epstein e Jeff Marsh, donos da “On Demand Books”. A primeira máquina foi instalada no Banco Mundial InfoShop em abril de 2006 e a segunda instalada na biblioteca de Alexandria, no Egito, em setembro do mesmo ano para imprimir livros em árabe. Até então, a impressão dos livros não era feita com o objetivo de realizar vendas ao público do varejo.