Monteiro Lobato e o Dia Nacional do Livro Infantil

A leitura na infância promove uma série de benefícios para a criança auxiliando em seu desenvolvimento intelectual, criatividade, concentração e interesse por diferentes culturas. Reforçando a importância desse hábito, no dia 18 de abril é celebrado o Dia Nacional do Livro Infantil.

A data foi criada em 2002 como uma forma de homenagear um dos nossos mais reconhecidos escritores da literatura infanto-juvenil, Monteiro Lobato. Lobato nasceu no dia 18 de abril de 1882, na cidade de Taubaté, interior de São Paulo. Em sua trajetória, Monteiro se formou em Direito, atuou como promotor público e arriscou seus primeiros trabalhos como escritor, produzindo artigos para jornais do Rio de Janeiro, Santos e da capital paulista.

Por volta de 1917, Monteiro vivia em uma fazenda na região de Caçapava. Nesse período se dedicou ao jornalismo e criou a revista “Paraíba”. Pouco tempo depois muda-se para São Paulo e passa a contribuir com a “Revista do Brasil”. Nos anos seguintes Lobato participa da fundação de editoras, como sócio, vive cerca de um ano na Argentina e retorna para São Paulo em 1947. vítima de um espasmo cerebral.

Sua obra é marcada pelos contos fantasiosos baseados em personagens do folclore brasileiro como o Saci, a Yara, e a mula sem-cabeça, além de abordar personagens de sua autoria e personagens conhecidos da cultura internacional como Dom Quixote e Peter Pan. Suas obras de maior destaque são da série de volumes que narram as aventuras da turma do Sítio do Picapau Amarelo. História que conta o cotidiano de uma típica família do interior em que os netos passam seus dias na fazenda da vó, se não fosse pelas traquinagem de um saci, a existência da boneca falante Emília entre outros elementos fantasiosos nessa história que ganhou o país em seus livros e versões para a televisão que encantaram muitas gerações.